sexta-feira, 4 de março de 2016

SOBRE AS ELEIÇÕES DE SÃO LUÍS E IMPERATRIZ

O Partido Socialista Brasileiro experimentou, na última década, o seu momento mais pujante no que diz respeito ao desempenho eleitoral mas, principalmente, ao seu fortalecimento como uma organização partidária que preza, acima de tudo, a discussão interna.

Acompanhei de perto este processo como parlamentar e como militante que se orgulha de ajudar a construir um partido calçado nos princípios da transparência, diálogo e coletividade. Aprendi ao longo de minha vida pública, que um partido político deve ser instrumento de luta do povo, especialmente os mais humildes e não um meio para se alcançar o sucesso pessoal, um instrumento de ascensão política ou de busca do poder.

E é alicerçado por estes pensamentos que tenho conduzido nosso partido desde que assumi a presidência estadual da sigla, ouvindo aqueles que têm mandato, mas sobretudo os movimentos sociais e militantes que são, verdadeiramente, quem constroem nosso partido na base.

Os anos de vida pública também me ensinaram que a proximidade de uma eleição causa agitação e o debate acerca de qual o rumo o partido deva tomar, acaba monopolizando as discussões.

Aqui no Maranhão, mais precisamente em nossa capital, podemos observar este atropelo. O PSB, por seu tamanho e por sua história, tem a obrigação de oferecer a São Luís uma opção na escolha do próximo prefeito. E é neste sentido, em encontro partidário com a presença da direção estadual e do presidente nacional, que o deputado estadual Bira do Pindaré, atendendo a um chamado das bases do nosso partido, se colocou à disposição como pré-candidato a prefeito da capital, além do Senado Roberto Rocha, que no mesmo encontro, se lançou pré-candidato a prefeito de São Luís.

Assim, com surpresa, recebi a notícia que a deputada federal Eliziane Gama deseja ingressar em nosso partido com o objetivo de disputar, pelo PSB, as próximas eleições para prefeito de São Luís.

Cabe a mim, no entanto, como presidente do diretório estadual com mandato até 2017, questionar à deputada se é oportuno, neste momento, filiar-se ao nosso partido, uma vez que já possuímos dois pré-candidatos, deputado estadual e senador eleitos pelo PSB, e com uma história construída em nosso partido.

Destacando o profundo respeito que nutro pela deputada, de quem fui colega na Assembleia Legislativa, lamento que sua movimentação para ingressar em nosso partido tenha se dado desrespeitando uma das instâncias partidárias e a nossa militância.

Como presidente estadual ou mesmo como filiado jamais fui procurado pela deputada para tratar de seu interesse em filiar-se ao PSB. Ao contrário, pela imprensa acompanhei sua movimentação para construção da REDE, partido de Marina Silva, a quem a deputada apoiou para presidente nas últimas eleições.

O PSB, por seu tamanho, não deve caminhar a reboque de um projeto pessoal. Em nosso partido, quaisquer que sejam os objetivos individuais, sempre estarão submetidos ao projeto coletivo de transformação de nossa sociedade.

Como alguém que se propõe a comandar a maior cidade de nosso estado, busca construir esse caminho desrespeitando as instâncias partidárias e alijando da disputa os companheiros Bira do Pindaré e Roberto Rocha?

É o desejo da militância do nosso partido que, acaso a deputada queira realmente disputar a próxima eleição pelo PSB, ela coloque seu nome à disposição dos nossos filiados para que eles, os mais legitimados, expressem sua vontade diante dos nomes à disposição.

Erro similar ocorre na querida Imperatriz. Numa das regiões mais progressistas do nosso estado, o senador Roberto Rocha lançou como pré-candidata a prefeita, em entrevista televisiva em maio de 2015, a companheira Rosi Vicenti que é oriunda das bases partidárias e identificada com o programa do nosso partido.

Agora, na contramão desse projeto, com espanto e preocupação, o partido é surpreendido com a tentativa do ex-prefeito Ildo Marques, aliado do grupo Sarney naquela região e sem familiaridade com o nosso campo político, de se viabilizar como candidato do PSB a prefeito de Imperatriz negando tudo o que pregamos nas últimas eleições, em especial o que foi dito pelo saudoso Eduardo Campos em sua última visita a Timon.

Acrescento que no próximo dia 13/03 (domingo), através de edital de convocação lançado com vinte dias de antecedência, conforme rege o estatuto, o Diretório Estadual eleito do Maranhão reunir-se-á em São Luís para discutir as eleições de 2016 e as candidaturas já postas pelo partido.

Espero assim, que a informação que me chegou, de que a deputada já programara sua filiação em um ato paralelo à reunião do nosso diretório, não se confirme. Se este for o seu desejo, aconselho-a a procurar o partido, para que, a partir de então, iniciemos um grande debate com os pré-candidatos já postos, os movimentos sociais e demais militantes e que, democraticamente, cheguemos à unidade.

Por fim, destaco que o PSB não é contra a filiação de novos quadros. Ao contrário, entendemos que nosso crescimento se dará através da aglutinação de forças em torno de um projeto comum. Foi este pensamento, por exemplo, que nos norteou quando construímos internamente no partido o consenso acerca das filiações dos atuais pré-candidatos Bira do Pindaré e Roberto Rocha.

Luciano Leitoa
Presidente Estadual do PSB/MA
# Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

Galeria de Fotos

 
Copyright © 2013 Blog da Kelly