segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Acordos na China reforçam a importância da Zema, diz Roberto Rocha

Confira matéria esclarecedora com o senador Roberto Rocha (PSB) publicada originalmente na edição deste domingo, 4, do Jorna Pequeno:

Acordos assinados na China pelo presidente Michel Temer, nesta sexta-feira (2), devem beneficiaro Maranhão com investimentos, na primeira fase, de R$ 4,5 bilhões. “Esses empreendimentos vão gerar milhares de empregos e proporcionar desenvolvimento para o estado. Acredito que eles reforçam a importância de criarmos uma Zona de Livre Exportação na ilha de São Luís e disse isso ao presidente no nosso último encontro, quando falamos do anúncio que seria feito na China”, afirmou o senador Roberto Rocha (PSB-MA).

O senador é o autor de projeto de lei, já aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado, que cria uma Zona de Livre Exportação (Zema) na ilha de São Luís, com incentivos fiscais especiais como a suspensão do Imposto sobre Importação, Exportação e do Imposto sobre Produtos Industrializados. O objetivo é atrair a instalação de empresas voltadas para a exportação.

Depois de um longo encontro com Temer no último domingo pela manhã, Roberto Rocha disse que recebeu com alegria a notícia da assinatura dos contratos para os dois empreendimentos. “O Maranhão precisa de muito estímulo econômico para deixar de ser apenas exportador de matéria prima. Temos uma posição geográfica privilegiada nas rotas do mercado mundial e portos que oferecem ótimas condições, então temos que explorar essa oportunidade para gerar renda e emprego para nossa população”, avaliou o senador.

Roberto Rocha foi convidado pelo presidente, junto com os outros senadores maranhenses e de outros estados, para participar da comitiva brasileira que viajou à China para a reunião do G20.

Na China, o governo brasileiro assinou um contrato de R$ 3 bilhões com a empresa CBSteel para a construção de projetos siderúrgicos em Bacabeira. Também foi assinado um contrato entre o grupo brasileiro WPR e a China Communication and Construction Company International (CCCC) para investimento de R$ 1,5 bilhão, na primeira fase, no terminal de multicargas de uso privado que está sendo construído pela WPR em São Luís.

A siderúrgica de Bacabeira deve gerar na primeira fase pelo menos cinco mil empregos e produzir três milhões de toneladas de aço. O terminal privado terá capacidade instalada de 14 milhões de toneladas/ano para grãos, 3 milhões para celulose,3,6 milhões para líquidos e 3,5 para fertilizantes.

Senador, um dos assuntos mais comentados da semana foi o seu voto pelo impeachment da presidente Dilma. A imprensa nacional relacionou seu posicionamento ao fato de o senhor ter recebido em troca uma diretoria do Banco do Nordeste. O que há de verdade nisso?

Nada. Não há nenhuma verdade. Quem diz isso está mal informado, mal intencionado, ou ambos. Para entender meu voto, basta acompanhar como me posicionei desde o início do processo. Me mantive coerente, votei pela admissibilidade, pela pronúncia e votei pelo impeachment. Agora me reservei o direito de só declarar o voto no momento da votação porque entendo que esse deve ser um comportamento de um juiz, e no Senado estávamos conduzindo um processo político, mas também jurídico.

– Mas o senhor indicou o diretor de negócios do Banco do Nordeste.

Sim, mas isso não tem nada a ver com o voto. Esses cargos eu já vinha pleiteando junto à presidente Dilma, muito antes do impeachment. E eles seriam não meus, mas do Maranhão, provavelmente, qualquer que fosse o resultado da votação. O presidente Michel Temer também havia conversado sobre essa diretoria do BNB comigo há dois meses. Carlos Siqueira e Luciano Leitoa são testemunhas disso. Agora, é verdade que fiz questão mesmo dessa diretoria porque ela é muito importante para o Maranhão. Historicamente o BNB, único banco de fomento do Maranhão, sempre esteve de costas para nosso estado, embora ele faça parte do Nordeste. E nós, que temos alguns dos municípios mais pobres do país, precisamos muito dele, do crédito subsidiado para desenvolver nossa economia. Sugeri o nome do Dr. Antônio Rosendo Júnior, cuja capacidade técnica é reconhecida, e por ser maranhense, terá muito mais sensibilidade diante dos pleitos da área produtiva do estado. A notícia foi tão boa que as entidades do setor produtivo publicaram uma nota comemorando a conquista.

De que modo essa diretoria irá ajudar?

Na estrutura dessa diretoria estão superintendências muito importantes para o fomento dos micros, pequenos, médios e grandes negócios, como a Superintendências de Varejo, de Atacado, de Agronegócio, de Governo, de Supervisão da Rede de Agências, da Agricultura Familiar e do Microcrédito. Imagine essas áreas comandadas por alguém que conhece a realidade do Maranhão? O estado só tem a ganhar com isso. Sugeri também ao presidente Michel Temer que adote um programa chamado MARANHÃO SEM MISÉRIA, com foco no microcrédito, através do Crediamigo e Agroamigo, voltado ao micro empreendedor individual, casado com assistência técnica, que desperte o empreendedorismo e a cultura do fazer da nossa gente. E vou defender que esse programa seja implantado como projetos pilotos nos municípios mais pobres do Maranhão.

Como seria esse programa?

Sugeri ao presidente algo parecido com o Banco da Cidade, pensado para São Luís, e infelizmente não executado. Uma linha de microcrédito voltada para o empreendedor individual que sonha montar seu pequeno negócio, que às vezes precisa só de dois, três mil reais para comprar um carrinho de pipoca, uma máquina de solda, ou máquina de lavar carros e motos, por exemplo. Mas, é claro que não basta o financiamento, é preciso garantir acesso à capacitação técnica, o que pode ser feito por meio de educação profissional à distância. Hoje, a tecnologia de comunicação permite conectar pessoas em qualquer lugar, então é preciso levar esse benefício à ponta, ao pequeno produtor ou empreendedor para que ele se beneficie do que há de melhor na experiência do setor, e assim despertar sua capacidade fazer.

– O senhor também indicou um diretor da Codevasf?

Sim, Diretoria de Infraestrutura, a mais importante. 
A Codevasf é também fundamental para o Maranhão, e essa diretoria atua em projetos importantes como os Diques da Baixada; a Revitalização dos Rios maranhenses, os Perímetros de Irrigação de Salangô, de São Bernando, do Flores, na Revitalização da Lagoa da Jansen e até em projetos de saneamento básico dos municípios do estado. 
O BNB e Codevasf são estratégicos para o desenvolvimento do Maranhão, então briguei mesmo para que nosso estado tivesse representação nestas duas instituições. Essa é minha missão como senador, lutar para que o nosso estado receba atenção na esfera federal e aproveite todas as oportunidades para o estímulo ao desenvolvimento social e econômico.
Só vamos melhorar nossa realidade social sem desenvolvimento econômico.

O Social e o Econômico são irmãos siameses.
# Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

Galeria de Fotos

 
Copyright © 2013 Blog da Kelly