domingo, 1 de janeiro de 2017

MADEIRA: “Cumpri minha promessa de entregar Imperatriz muito melhor do que recebi”

Nesta entrevista, o primeiro prefeito reeleito da história de Imperatriz fala dos trabalhos, parcerias e desafios que contribuíram para a ascensão da cidade



Desde que assumiu a responsabilidade de conduzir a prefeitura de Imperatriz, segunda maior cidade do Estado, o prefeito Sebastião Torres Madeira sempre frisou a necessidade parcerias com o governo federal, governo estadual, judiciário, legislativo, iniciativa privada e comunidade de modo geral. Segundo Madeira é impossível um gestor trabalhar sozinho. E foi nessa concepção que ele destaca ter conseguido concretizar trabalhos que destravaram a economia da cidade. Ao longo dos oitos anos de gestão, foram feitas parcerias com o governo federal, e o resultado foram milhares de casas do Programa Minha casa Minha vida entregues à população carente do Município.


Com o governo do Estado, trabalhos expressivos melhoram a infraestrutura e mobilidade urbana da cidade. O Programa “Mais Asfalto” foi uma das parcerias que proporcionaram aos imperatrizenses mais qualidade no trânsito. Com o Judiciário, tem como exemplo o Conservatório de Música – obra gigantesca, que vai beneficiar milhares de crianças que estão em situação de vulnerabilidade social. A obra está em fase de finalização.


A cidade tem se destacado nos indicadores de desenvolvimento humano. No período entre 2009 e 2015 recebeu reconhecimento e certificações, como a redução da taxa de mortalidade infantil. Além disso, em 2015 foi eleita pela revista ISTOÉ como uma das 50 melhores cidades do país. Foi destaque - com o 4º lugar na categoria “Indicadores Sociais e Desenvolvimento Humano”- no ranking feito pela Revista ISTO É em parceria com Austing Ranking. Realizado entre 5.565 municípios brasileiros o trabalho reconheceu as práticas de gestão no âmbito municipal. Com o levantamento foi possível mapear o nível socioeconômico dos municípios de todos os estados brasileiros.


Em 2016 Imperatriz recebeu pela segunda vez consecutiva o Selo Unicef – um dos maiores prêmios de reconhecimento de políticas públicas para a infância. Em resumo, o primeiro prefeito reeleito da segunda maior cidade do Maranhão afirma que foi preciso parcerias com a iniciativa pública, privada e com a comunidade para que a cidade crescesse e se desenvolvesse.


Prefeito, desde o início da sua gestão, o senhor sempre afirmou acreditar em parcerias nas esferas públicas e privadas para destravar a economia, crescer e desenvolver a cidade. Neste sentido, em oito anos de gestão o que o senhor acredita ter mudado no cenário político e econômico de Imperatriz?


Quando me candidatei em 2008, eu fiz um compromisso com a cidade, de que ia destravá-la. Depois de oito anos eu considero que isso foi feito. Imperatriz foi definitivamente destravada. Empresas vieram. A maior delas é a Suzano. Mas muitas outras também vieram junto. A economia de Imperatriz triplicou. O PIB que era de dois bilhões de reais, hoje passa de seis bilhões. A renda per capita de Imperatriz era menos de 10 mil reais. Atualmente gira em torno de 25 mil reais. Acidade se organizou no trânsito, na infraestrutura, no social, na saúde e educação, enfim, em todas as áreas. Então eu acredito que cumpri minha promessa de entregar Imperatriz melhor do que recebi. Para fazer isso eu busquei parcerias com a iniciativa privada, com o governo federal e estadual. Busquei parcerias com todos. E o resultado disso é uma Imperatriz muito melhor.

O cenário econômico brasileiro afetou a todos os pequenos e grandes municípios do país. Como foi governar em plena crise com redução de recursos federais e estaduais.
Eu governei Imperatriz em duas fases. Uma ascendente – período de 2009 quando vultosos investimentos foram atraídos para a cidade – depois em 2014 teve uma fase meio paralisada e 2015 e 2016 uma fase muito decrescente de receita. Eu sempre administrei no limite. Quando tinha mais recursos eu fiz mais obras. Mas eu estava sempre no limite. Quando diminuíram os recursos eu diminuí o ritmo de obras, mas não diminui os investimentos na área da saúde, na área social, funcionalismo público e funcionamento da cidade. Quando pude eu fiz grandes investimentos. Quando não pude, diminui e mantive apenas os investimentos de parcerias com o governo federal e governo estadual.


E nesse período como foi sua relação com o funcionalismo público?


Foi boa. Quando assumimos, a administração da cidade era muito pequena. Tinha um concurso feito pelo prefeito anterior. Nós chamamos todos e logo fizemos um novo concurso. Hoje entre 90 e 95 por cento dos funcionários da prefeitura de Imperatriz são concursados. Quando eu assumi apenas os professores ganhavam ticket alimentação. Nós ampliamos esse benefício para todos os servidores. Nesses oito anos de gestão nunca atrasei o salário em um único dia. Esse mês de dezembro o governo federal atrasou em 20 dias o repasse, mesmo assim no sexto dia o dinheiro estava na conta dos servidores. Minha relação com os funcionários sempre foi de muito respeito. Por vezes fui desrespeitado por uma pequena minoria de sindicalistas, mas suportei e busquei dar o meu melhor.


Entre os grandes investimentos qual o senhor gostaria de ressaltar?


Nós fizemos na infraestrutura uma transformação na região do bairro Cafeteira, Parque Amazonas, João Castelo. Fizemos 250 quilômetros de asfalto de ruas e avenidas. Fizemos um grande complexo esportivo, o Barjonas Lobão. Fizemos um grande trabalho na área social, com o programa habitacional. Este sem dúvida foi um dos investimentos de maior repercussão social. Resultado das parcerias que fizemos com o governo federal. Nós entregamos quatro mil residências, ou seja, quatro mil famílias que antes gastavam uma parte substancial da renda com aluguel, hoje essas famílias são beneficiadas com o programa “Minha Casa Minha Vida” pagando prestação de no máximo cem reais. Ainda tem mais 4920 casas que serão entregues agora em 2017.


Ao fazer uma análise do período de 2009 a 2016 é perceptível o desenvolvimento econômico da Imperatriz. Em plena crise é possível identificar grandes oportunidades em geração de emprego e renda na cidade. Empresas como Valmet, Suzano, Ceuma, Matsuda e várias construtoras se instalaram em Imperatriz. A prefeitura garantiu incentivos para atrair esses investimentos?


Logo no início do meu governo, nós preparamos e enviamos para a Câmara de Vereados um projeto de desenvolvimento para a cidade. Dando incentivos para atrair empresas de fora e incentivos para as empresas daqui. No projeto a prefeitura deu incentivos, como isenção de ITBI e isenção de IPTU por um período longo. Devido a esses estímulos muitas empresas vieram e se instalaram na cidade e geraram milhares de oportunidades de emprego. E em paralelo potencializaram a economia local.

Prefeito gostaria que o senhor citasse os trabalhos realizados no Município que, em sua opinião fortaleceram o seu compromisso com a população?


Durante nossa gestão entregamos mais de 15 mil títulos definitivos de propriedade. Criamos uma secretaria para regularizar as propriedades, cujos donos não possuíam quaisquer documentações que comprovassem posse. Na área social, recebemos elogios referentes ao modo como cuidamos das crianças desprotegidas e também dos idosos, além do apoio na segurança alimentar. Em parceria com o judiciário nós desenvolvemos o projeto da construção do Conservatório Municipal de Música (único no estado) que atenderá milhares de crianças e adolescente em situação de vulnerabilidade social. Na área da saúde fizemos grandes investimentos, ampliamos o número de leitos de 200 para 450, compramos novos equipamentos para os postos e para os hospitais. As UTIs passaram de 10 para 30 e reduzimos a jornada de trabalho dos profissionais da saúde.
Na infraestrutura temos realizado diversas obras para melhorar a mobilidade. Fizemos um amplo investimento na iluminação pública da cidade. A secretaria de Agricultura tem dado apoio para os pequenos produtores da região. Na educação nós já garantimos construção e reformas de escolas. Então, acredito que todos os serviços que realizamos sem dúvidas foram desafios que melhoraram a cidade. Esse sempre foi nosso objetivo. A redução na taxa de mortalidade infantil também é uma grande conquista para nossa cidade.


Sobre a melhoria da mobilidade urbana de Imperatriz. Que balanço o Sr faz dos trabalhos realizados na infraestrutura?


Em termos de mobilidade urbana, quando assumi a prefeitura Imperatriz tinha 54 mil veículos. Hoje se aproxima de 140 mil com as mesmas ruas e o trânsito flui. Então através da secretaria de Trânsito nós fizemos um grande trabalho de organização. Uma das grandes preocupações desde o início da minha gestão foi garantir mais segurança no trânsito da cidade. Tanto que hoje temos alto investimento em novas sinalizações. Implantamos 80 conjuntos de semáforos nos principais cruzamentos da cidade. As Avenidas Dorgival e Santa Tereza são exemplos das sinalizações horizontais que utilizamos como estratégia para melhorar a fluidez e reduzir o número de acidentes. Na infraestrutura fizemos parcerias com o governo do Estado e conseguimos asfaltar 250 quilômetros de ruas e avenidas. Os moradores dos bairros São Salvador e Parque Amazonas hoje vivem uma nova realidade. Por intermédio de parcerias asfaltamos e sinalizamos ambas as localidades.


Imperatriz, pela segunda vez consecutiva recebeu o Selo unicef como forma de reconhecimento aos trabalhos que promoveram políticas públicas voltadas a infância. No seu ponto de vista, qual o maior impacto dessa certificação para o Município?


O reconhecimento que a cidade recebeu é um reflexo de todo o trabalho que a prefeitura se empenhou em realizar ao longo da gestão. Sobre o premio é motivo de comemoração e afirmo que a certificação do Selo Unicef significa um grande avanço social; Isso por que a gestão municipal além de manter programas, serviços, ações e projetos para a criança e o adolescente, também se prontificou a cumprir ações indicadas pelo Selo Unicef reforçando seu compromisso em melhorar a vida de crianças e adolescentes, fortalecer a gestão municipal e reduzir as desigualdades sociais”.


Prefeito enquanto gestor, como o senhor gostaria de ser lembrado pelos imperatrizenses?


Gostaria de ser lembrado como um prefeito que se dedicou totalmente à cidade. Um prefeito que acima de amizade, acima de companheirismo e acima de parentesco viu o bem público. Tanto que algumas pessoas me dizem – Madeira você foi um bom prefeito, mas foi um péssimo amigo e um péssimo companheiro porque não facilitou a vida dos teus amigos – e eu vejo isso como um elogio porque fui eleito para administrar para todos, não para meus parentes ou para meus amigos e meus colegas. Gostaria de ser lembrado como o prefeito que esteve cima disso, sempre pensando no bem público e que fez a cidade mudar e se desenvolver. Eva Fernandes/ASCOM
# Compartilhar: Facebook Twitter Google+ Linkedin Technorati Digg

Galeria de Fotos

 
Copyright © 2013 Blog da Kelly