b

b

terça-feira, 18 de abril de 2017

Oficial de Justiça e policiais Civis apreendem documentos públicos da prefeitura de Porto Franco em Imperatriz

Em cumprimento a mandado de carta precatória expedido pela comarca de Porto Franco, o oficial de justiça P. Costa na companhia de Polícia Civil de Imperatriz cumpriu na manhã desta terça-feira (18) mandado de BUSCA E APREENSÃO de documentos da prefeitura em desfavor do ex-prefeito Anderson Marinho, acusados de prática de supressão de documentos públicos, crime previsto no artigo 305 do Código Penal.


Ao chegar no local onde se encontrava os documentos na Rua Teotônio Viléla entre as Ruas Dom Marcelino e Euclides da Cunha na Vila Nova no conjunto de quitinetes, foi aprendido na guarda do contador Ricardo Abreu todos arquivos. Em seguida o delegado de Policia Civil Fabian Victor Kleine que acompanhava a diligência deu voz de prisão ao contado Ricardo sobre alegação do crime de supressão e ocultação de documentos públicos onde foi conduzido para delegacia regional para ser feito os procedimentos legais.

O procurador jurídico de Porto Franco, Regione Teixeira da Silva, explicou que o prefeito Nelson Horácio ao assumir em janeiro a gestão municipal constatou que o ex-prefeito retirou todos os bancos de dados do município, inclusive os HDs de computadores, arquivos de folha de pagamento, contábeis e de pagamento de fornecedores.

“Nós ingressamos com uma ação, com pedido de liminar, para que devolvessem essa documentação para que o município voltasse a funcionar normalmente, pois não devolveram os documentos e ficamos sabendo que os mesmos estavam em um escritório de contabilidade em Imperatriz”, contou ele, que manifestou à justiça a expedição de mandado de BUSCA E APREENSÃO e prontamente foi realizado diligências para apurar os fatos.

Regione Teixeira disse que foi apreendido em flagrante o contador Ricardo Abreu que estava de posse da documentação do município de Porto Franco, acusado de supressão de documentos públicos. “Será feito agora os boletins de ocorrência e a conferência da documentação apreendida para verificar se estão todos os dados da Prefeitura de Porto Franco”, frisou.

O blog também ouviu o advogado do contador Ricardo Abreu que justificou que o seu cliente assinou contrato de prestação de serviço para o ex-prefeito Aderson Marinho no dia 11 de abril. “Essa acusação terá que ser provada na Justiça, pois os documentos que estavam com o Ricardo eram apenas cópias que estavam juntas da prestação de contas do ex-prefeito Adersinho”, explicou o advogado Ylub Nathasje.

Ele assinala que havia um contador responsável pela prestação de contas, que deixou de fazê-la, e o Ricardo Abreu recebeu cópias dos documentos para efetuar a atualização da prestação de contas da ex-gestão. “Ele (Ricardo) não ocultou documentos, pois estava apenas prestando seu serviço contábil”, finalizou.​

Galeria de Fotos

 
Copyright © 2015 Todos os direitos reservados.
Produzido por
Dicamax Tecnologia e Comunicação