Enfermeiros reivindicam isonomia salarial, em Imperatriz - Blog da Kelly

Publicidade Top

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Enfermeiros reivindicam isonomia salarial, em Imperatriz

Na manhã desta quarta-feira (21), enfermeiros da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e do Hospital Regional Materno Infantil de Imperatriz realizaram uma paralisação em frente a uma unidade de saúde. Segundo a classe, se não houver isonomia de piso salarial, haverá greve.

Cerca de 60 profissionais são contratados pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). Eles reivindicam a isonomia do piso salarial, que está abaixo da convenção trabalhista. A reivindicação dos enfermeiros dura mais de um ano e, neste período, já foram realizados três manifestos.

Segundo a presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado do Maranhão, Lívia Bustamante, a situação só mostra o desrespeito salarial da classe.

“Várias vezes a gente tentou a negociação, ao contrário de alguns grupos que disseram que não procuramos diálogo. Muito pelo contrário, temos atas de reuniões, documentos expedidos pela própria EMSERH, pela secretária do estado de saúde, admitindo o equívoco relacionado ao salário de trabalhador. Porém, apesar das várias negociações e acordos firmados, isso não foi cumprido. E já vai fazer um ano que os trabalhadores estão no exercício de sua função tendo os seus salários desrespeitados”, afirma a presidente sindical.

Ainda de acordo com Lívia, dentro das próprias instituições do estado, existem acordos que são cumpridos, e outros não. “As empresas que eram terceirizadas pelo governo cumprem o acordo, mas o próprio governo através da EMSERH não cumpre”, explica.

O superintendente de Articulação Política na regional de Imperatriz, Adonilson Lima, esclareceu que está sendo feita uma equação dos problemas encontrados na saúde do Maranhão. Ainda segundo ele, muitos dos profissionais que realizaram os últimos concursos na área da saúde o fizeram sob uma regra salarial diferente da dos trabalhadores que já recebiam. Ele ainda afirma que não existe salário atrasado relacionado à saúde, no estado do Maranhão. 

Sobre o caso, a Secretaria de Estado da Saúde emitiu a seguinte nota:

Sobre a manifestação de alguns enfermeiros na cidade de Imperatriz, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que: 
Sempre prezou o diálogo com Conselhos e representantes de classe, por reconhecer a importância das propostas levantadas pelos profissionais de saúde na rede estadual;
As reivindicações que motivaram o ato nunca chegaram ao conhecimento da SES, visto que o sindicato não procurou a Secretaria para manifestação das destas; 
Esta semana recebeu a comitiva do Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão, com quem mantém diálogo permanente, para continuar com avanços na garantia das demandas da categoria;
Por fim, que mantém o diálogo aberto desde que sejam pautadas na verdade, sem interesses escusos e que realmente representem as necessidades da categoria.

Publicidade Rodapé