“Soube que já pediram minha prisão”, diz delegado Thiago Bardal - Blog da Kelly

Publicidade Top

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

“Soube que já pediram minha prisão”, diz delegado Thiago Bardal

Jorge Aragão- 
Na manhã desta sexta-feira (23), o delegado Thiago Bardal, ex-superintendente da SEIC – Superintendência Estadual de Investigações Criminais, em entrevista ao programa Acorda Maranhão, da Rádio Mirante AM, falou sobre a acusação do seu suposto envolvimento em uma milícia que foi desbarata pela Polícia Militar.

O envolvimento do delegado Thiago Bardal foi citado pelo próprio secretário de Segurança, Jefferson Portela, em entrevista coletiva sobre a operação deflagrada pela Polícia Militar na manhã de quinta-feira (22). Por conta desse suposto envolvimento, Bardal foi imediatamente exonerado do cargo e foi indiciado.

Bardal negou qualquer envolvimento com a milícia e lamentou nunca ter sido chamado para prestar esclarecimentos.

“Eu passei o dia trabalhando normalmente e em nenhum momento fui chamado para prestar esclarecimentos. Nenhuma das pessoas envolvidas, que já foram ouvidas, me conhece ou citaram meu nome. Não conheço nenhuma dessas pessoas presas. Querem me envolver nessa situação por estar no local duas horas antes da operação”, afirmou Bardal.

O delegado entende que está havendo uma precipitação dos fatos e afirmou ainda que não foi comunicado da sua exoneração e que, mesmo sem ser ouvido, soube que já pediram sua prisão.

“Com certeza houve precipitação. Já tive conhecimento que pediram minha prisão, mesmo sem jamais terem me chamado para ser ouvido. Também nunca fui comunicado oficialmente da minha exoneração. Além disso, se eu tivesse mesmo envolvimento com essa situação, eu teria que ter sido autuado em flagrante”, finalizou.

Thiago Bardal era um dos delegados mais atuantes dentro da Polícia Civil do Maranhão e foi responsável pelas principais operações no Estado nos últimos anos. O delegado inclusive, no ano passado, chegou a denunciar o desembargador Tayrone José Silva, pela soltura de Josival Cavalcante da Silva, o “Pacovan”, acusado de pertencer a uma quadrilha que usava postos de combustíveis para lavar dinheiro.

A Secretaria de Segurança do Maranhão confirmou a exoneração e o indiciamento do delegado Thiago Bardal.

Publicidade Rodapé