Vamos crescer ainda mais e vencer a eleição, diz Haddad após Datafolha - Blog da Kelly

Publicidade Top

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Vamos crescer ainda mais e vencer a eleição, diz Haddad após Datafolha

Em cima da carroceria de uma uma camionete, Fernando Haddad (PT) segura as mãos do governador da Bahia Rui Costa e candidato à reeleição (PT) e arrisca uns passos do jingle de campanha em ritmo de pagode.

Em sua primeira agenda eleitoral como candidato à Presidência da República no Nordeste, foi recebido por uma multidão estimada nas ruas de Vitória da Conquista, terceira maior cidade da Bahia.

O petista comemorou o desempenho que teve na pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (14) na qual ele aparece em segundo lugar, numericamente empatado com Ciro Gomes (PDT), com 13% das intenções de voto.

“Vamos crescer ainda mais, agora que estamos oficialmente na campanha, e vencer essa eleição”, afirmou Haddad em rápida entrevista concedida à imprensa.

Para o petista, a definição de seu nome como candidato à Presidência em substituição ao ex-presidente Lula, declarado inelegível pela Justiça Eleitoral, fez com que a campanha ganhasse corpo nas ruas e com que o eleitor assimilasse seu nome como candidato.

“O certo é que estaremos todos juntos, lutando pela libertação de Lula e contra as injustiças desse país” disse Haddad, que estava acompanhado de sua candidata a vice-presidente Manuela D’Ávila (PC do B).

Ainda desconhecido de grande parcela do eleitorado, Haddad escorou-se na popularidade do governador Rui Costa, que lidera a corrida pelo governo da Bahia com 50% das intenções de voto, segundo o Ibope.

Mesmo assim, teve o seu nome confundido por eleitores que o chamaram de “Andrade” na cidade baiana, que é considerada um dos maiores redutos do PT no Brasil —foram 20 anos de gestões petistas em Vitória da Conquista entre 1997 e 2016.

“Andrade’ é o candidato de Lula, tamo junto com ele”, gritava Firmino de Sousa Oliveira, 45, pouco antes de o candidato petista chegar ao ato de campanha.

Ao ser informado sobre o nome correto do ex-prefeito de São Paulo, Oliveira deu de ombros: “Não importa se é Andrade ou Haddad, o importante é que vamos votar nele porque ele representa Lula e o povo do Nordeste”.

O mesmo pensa a estudante do ensino médio Silvia Cássia de Lima, 19, moradora de Poções, cidade vizinha a Vitória da Conquista, que disse estar ainda se acostumando à ideia de Fernando Haddad como candidato —mas garantiu que votará no petista.

Publicidade Rodapé