Polícia procura “Zé de Lessa”, chefe da quadrilha que pode ter levado R$ 100 milhões de Bacabal - Blog da Kelly

Publicidade Top

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Polícia procura “Zé de Lessa”, chefe da quadrilha que pode ter levado R$ 100 milhões de Bacabal

Investigação da Polícia aponta que o líder da quadrilha responsável pelo assalto a agência do Banco do Brasil ocorrida na noite de domingo (25) na cidade de Bacabal é José Francisco Lumes, mais conhecido como “Zé de Lessa”, estava no município comandando pessoalmente a ação da quadrilha. A polícia do Maranhão estima que a quadrilha tenha roubado em Bacabal cerca de R$ 100 milhões. Até o momento, R$ 3 milhões já foram recuperados pelos policiais. Esse dinheiro foi deixado nas dependências da agência e moradores aproveitaram para pegar as notas.


De acordo com a polícia, “Zé de Lessa” é bastante conhecido por crimes em todo o país, especialmente por roubos a banco. Natural do estado da Bahia, “Zé de Lessa” começou na vida do crime fazendo assalto a instituições financeiras. Foi preso algumas vezes e a última vez que saiu da prisão foi para terminar de cumprir a pena no regime domiciliar.


A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) confirmou que três assaltantes foram mortos em confronto com a polícia. Um morador da cidade também morreu durante a troca de tiros. Na manhã desta terça-feira (27), o delegado Carlos Renato confirmou que outro morador também foi atingido por disparos de arma de fogo e segue em recuperação.

A polícia recuperou até agora cerca de R$ 3 milhões que estavam no prédio; Moradores entraram na agência para tentar pegar as cédulas que ficaram no chão.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h de domingo (25) e os bandidos estavam fortemente armados. Durante a ação, os criminosos incendiaram viaturas e ainda atacaram o quartel do 15º Batalhão da Polícia Militar e também a Delegacia Regional de Polícia Civil.


A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que foram deslocadas várias equipes das Polícias Civil e Militar para o município e cidades vizinhas. A Polícia informou ainda que está estudando a conexão dos envolvidos com quadrilhas de outros estados.

Publicidade Rodapé