Maioria dos deputados federais maranhenses quer adiar eleição para novembro, apenas um é favorável para disputa em 2022 - Blog da Kelly

Publicidade Top

quarta-feira, 24 de junho de 2020

Maioria dos deputados federais maranhenses quer adiar eleição para novembro, apenas um é favorável para disputa em 2022


O Blog Diego Emir fez um levantamento junto aos deputado federais maranhenses para saber qual o posicionamento majoritário da bancada maranhense em relação a disputa eleitoral desse ano. Na terça-feira (23), o Senado aprovou a PEC que altera a eleição municipal, a qual seria realizada entre 15 de novembro o primeiro turno e 29 de novembro, o segundo turno. Na Câmara Federal, a situação está mais nebulosa e os parlamentares se dividem. Não há consenso, porém a maioria é favorável ao adiamento da eleição.
Dentre os que são favoráveis ao adiamento da eleição estão Aluísio Mendes (PSC), Bira do Pindaré (PSB), Gil Cutrim (PDT), João Marcelo (MDB), Josimar de Maranhãozinho (PCdoB), Márcio Jerry (PCdoB) e Zé Carlos (PT), totalizando sete.
No entanto, entre os favoráveis ao adiamento da eleição, existem divergências. Por exemplo, Aluísio condiciona o adiamento para 2022 ou será favorável por manter a eleição no dia 4 de outubro. Já Bira do Pindaré, defende o adiamento para o fim de novembro e não 15 de novembro. Por fim, Gil Cutrim é favorável ao adiamento, mas não tem uma definição de data.
“A vida do município depende diretamente das eleições municipais, por isso a importância do pleito. Mesmo em meio à pandemia da COVID-19, as eleições devem acontecer. O adiamento é uma opção válida, pois permite o planejamento para que tudo seja realizado com maior segurança. A Câmara vai analisar o texto, porém, antes de traçar um calendário, é importante observarmos os parâmetros das autoridades de saúde”, afirmou o ex-prefeito de São José de Ribamar.
No outro lado estão cinco deputados que são favoráveis a manutenção da data da eleição para o dia 4 de outubro. André Fufuca (Progressistas), Gastão Vieira (PROS), Hildo Rocha (MDB), Paulo Marinho Júnior (PL) e Pedro Lucas Fernandes (PTB).
Três ainda estão indefinidos, caso de Edilázio Júnior que aguarda uma indicação do seu partido, o PSD. Eduardo Braide (Podemos), afirmou que “assim como o Senado teve a oportunidade de debater o assunto, a Câmara dos Deputados também terá a mesma oportunidade para discutir e encontrar uma solução segura que preserve a população e a nossa democracia” e Pastor Gil (PL), “A ciência ainda não nos deu um direcionamento certo e como serão os próximos meses em relação a Covid-19. Fala-se em segunda onda e isto é preocupante. Será que colocar as eleições 42 dias na frente do previsto não acabaria alcançando esta segunda onda e a eleição não pudesse ocorrer, necessariamente, em 2020? Vi a proposta aprovada no Senado com suas datas alteradas e ainda analiso de pode ser algo factível mesmo. Ou seja, se vai funcionar. Vejo que o problema será o pós eleição e, por isso, ainda analiso com muita calma qual a melhor saída. Na Câmara temos proposta já apresentadas. Estou analisando, vou comparar com o que o Senado aprovou e assim definir uma posição se o certo é adiar ou defender a manutenção da data que temos hoje no calendário eleitoral”.
Dentre a bancada maranhense, três deputados não foram encontrados: Cléber Verde (Republicanos), Juscelino Filho (DEM) e Marreca Filho (Patriota), não responderam o contato feito.
No Senado Federal, Eliziane Gama (Cidadania) e Weverton Rocha (PDT), votaram de forma favorável para a eleição ocorrer no dia 15 de novembro e 29 de novembro. Roberto Rocha (PSDB), absteve-se da votação.
Veja o quadro resumido:
Aluísio Mendes – PSC – Defende a eleição em 2022 ou manter dia 4 de outubro
André Fufuca – Progressistas – Manter a eleição dia 4 de outubro
Bira do Pindaré – PSB – Favorável ao adiamento para final de novembro primeiro turno e segundo turno em dezembro
Cléber Verde – Republicanos – Não respondeu
Edilázio Júnior – PSD – Espera orientação do partido
Eduardo Braide – Podemos – Indefinido
Gastão Vieira – PROS – Manter a eleição dia 4 de outubro
Gil Cutrim – PDT – Favorável, porém sem definição de data ainda
Hildo Rocha – MDB – Manter a eleição dia 4 de outubro
João Marcelo – MDB – Favorável ao adiamento para o dia 15 de novembro
Josimar do Maranhãozinho – PL – Favorável ao adiamento para o dia 15 de novembro
Juscelino Filho – Democratas – Não respondeu
Márcio Jerry – PCdoB – Favorável ao adiamento para o dia 15 de novembro
Marreca Filho – Patriota – Não respondeu
Pastor Gil – PL- Indefinido
Paulo Marinho Júnior – PL- Manter a eleição dia 4 de outubro
Pedro Lucas Fernandes – PTB – Manter a eleição dia 4 de outubro
Zé Carlos – PT – Favorável ao adiamento para o dia 15 de novembro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade Rodapé